• O que você esta procurando?

    » Ao saber que acusado de quebrar imagens sacras estava na cidade, população de S. S. da Amoreira vai à igreja para protegê-las



    Redação Anuncifácil

     

    Marcelo José Inácio, de 34 anos de idade, que ficou conhecido por quebrar imagens sacras na igreja católica matriz da cidade de Santa Cecília do Pavão e na catedral de Londrina foi visto andando pelas ruas do município de São Sebastião da Amoreira na tarde de sábado (7).

    Segundo informações, A Polícia Militar foi avisada de tal indesejada visita a tempo e o meliante foi convidado a ir embora da cidade.

    Importante frisar, que ao tomar conhecimento, a comunidade católica ficou protegendo a Igreja Matriz, não dando chance para a ação do tal elemento.

    Marcelo é acusado de invadir e destruir todas as imagens sacras da Paróquia Santa Cecília, em Santa Cecília do Pavão na noite do dia 30 de dezembro (Sábado). Ele foi preso pela equipe da PM em flagrante e segundo os policiais, Marcelo aparentava estar em surto e foi taxativo ao dizer que "Deus tinha pedido para que ele fizesse aquilo".

    Horas antes, ele teria ido até a casa de uma benzedeira no Bairro Fraternidade e efetuado o mesmo serviço. Ele foi encaminhado para o hospital municipal de Uraí, mas acabou fugindo em direção a Londrina.

    Já em Londrina, no final da noite de quarta-feira (3), carregando uma Bíblia e um livro de cânticos de uma igreja evangélica, Marcelo foi teria ido até Catedral Metropolitana por volta das 18 horas, logo após o fechamento do prédio, onde pulou a grade de ferro, quebrou vitrais e aos gritos, se dirigiu à representação do Padroeiro da cidade, a imagem de aproximadamente dois metros e meio de altura do Sagrado Coração de Jesus de Londrina, a qual se agarrou metros e a derrubou no chão na presença de vários fiéis que ainda estava no local.

    Ele foi contido por seguranças e por alguns fiéis e não reagiu. A única coisa que ele disse era que estava na Bíblia, que era errado adorar imagens, in formaram testemunhas.

    Depois de ser dominado, ele sentou-se em um dos bancos da catedral até a chegada da Polícia Militar que o encaminhou para a Central de Flagrantes no 4º Distrito Policial, onde a princípio foi autuado em flagrante pelo crime de injúria qualificada, dano qualificado e ultraje a culto, com fiança foi arbitrada no valor de vinte e um mil reais, valor referente aos danos praticados, porém ele foi solto pela Justiça no dia seguinte.

    Apesar do delegado responsável pelo caso em Londrina afirmar que Marcelo demonstrou "certa perturbação mental", se mostrando bastante determinado, alegando que a ação atendeu um chamado de Cristo um exame de sanidade só poderá ser solicitado durante um processo judicial.

    Conhecidos contaram que Marcelo sempre trabalhou na roça e vivia uma vida normal. Ele já teria sido casado e tem duas filhas, inclusive sua ex-sogra residiria em São Sebastião da Amoreira.

    Em seu último emprego, como trabalhador volante, ele chegou a matar cobras com os pés, mas de repente surtou e acabou cometendo atos de destruição contra as imagens de santos. (Com informações e fotos de Walter Lozano, Micaela Orikasa da Folha de Londrina e Blog do Chaguinhas)


    Compartilhe esta matéria!


      






    » Curta a página do site Anuncifácil no Facebook



     



    »Publicidades

    Copyright © 2009 Anunci Fácil - Direitos Reservados - Cornélio Procópio - Paraná Site Desenvolvido por: AbusarWEB